28 Março 2008

OTELO SARAIVA DE CARVALHO




É considerado o grande estratega do 25 de Abril de 1974. Corajoso e determinado, Otelo Saraiva de Carvalho ajudou a pôr fim ao regime marcelista. Foi responsável pelo sector operacional da comissão coordenadora do MFA, que dirigiu nesse dia as operações militares. O golpe que intentou em 25 de Novembro de 1975 afastou-o de posições de poder mas, recuperada a imagem, candidatou-se à Presidência da República por duas vezes. Foi preso no caso das FP-25, mas acabou amnistiado em 1996. “Devemos-lhe imenso”, assegura Fernando Lopes.


Nascido em Lourenço Marques, Moçambique, em 31 de Agosto de 1936, Otelo Saraiva de Carvalho é conhecido como o chefe operacional do golpe de Estado de 25 de Abril de 1974. Foi determinante para o fim da ditadura, no posto de comando clandestino instalado no Quartel da Pontinha. O sonho materializava-se. Nunca será esquecido devido à sua coragem e astúcia.

Otelo esteve em Angola de 1961 a 1963 e na Guiné de 1970 a 1973. Na fase final da guerra, foi um dos principais impulsionadores do movimento de contestação ao Decreto-Lei n.º 353/73, que dava a possibilidade aos milicianos do quadro especial de oficiais de ultrapassarem os capitães do quadro permanente nas suas promoções. Isto deu início ao movimento dos capitães e ao movimento das forças armadas (MFA). Foi precisamente como responsável pelo sector operacional da comissão coordenadora do MFA que dirigiu os acontecimentos do 25 de Abril. O desejo de liberdade e o descontentamento em relação à política seguida pelo governo na guerra colonial foram as motivações de Otelo Saraiva de Carvalho. “Um actor político com imensa coragem física”, diz o cineasta Fernando Lopes.

Após a queda do I Governo Provisório, ficou à frente do Comando Operacional do Continente (COPCON). Mas, pouco tempo depois, o governo substituiu-o no comando do organismo, o que levou Saraiva de Carvalho a intentar um golpe em 25 de Novembro de 1975. Saiu derrotado e foi preso.

Três meses depois de ser solto, e de reabilitar a sua imagem, chega outro dos momentos fundamentais da sua vida: a candidatura às eleições presidenciais de 1976, e de novo em 1980, como candidato apoiado pela extrema-esquerda; nas primeiras eleições conseguiu metade dos votos dos comunistas. Em 1984 voltou a ser preso, desta vez sob a acusação de envolvimento com as Forças Populares 25 de Abril (FP-25), grupo revolucionário responsável por mortes, atentados e confrontos com a polícia. Foi libertado cinco anos mais tarde, ficando a aguardar julgamento em liberdade provisória, tendo sido amnistiado em 1996. Otelo Saraiva de Carvalho é, ainda hoje, uma referência para os activistas de esquerda em Portugal.


Texto Daqui

5 comentários:

Anónimo disse...

otelo é um filho da puta assassino

Anónimo disse...

otelo o assassino de francisco sá carneiro

Anónimo disse...

EM 1980 FRANCISCO SÁ CARNEIRO TINHA UM PROJECTO DEMOCRATICO PARA UM PAIS HONDE NÃO HOUVE-SE PESSOAS QUE ENRIQUECESSEM COM A POLITICA E INTERESSES OBSCUROS DE ENRIQUECIMENTO ILICITO HOJE TEMOS UM PAIS Á BEIRA DA BANCA ROTA SE OTELO E AS SUAS FP 25 DE ABRIL E O CONSELHO DA REVOLUÇÃO SÃO OS RESPONSAVEIS POR CAMARATE MUITOS TIVERAM MEDO DE OS JULGAR MAS A HISTORIA OS JULGARÁ DERAM-LHE UMA AMENISTIA POR UM CRIME ODIUNDO CONTRA PORTUGAL E CONTRA O FUTURO DE PORTUGAL

Anónimo disse...

MUITOS NÃO SABEM QUEM ERA SÁ CARNEIRO UM HOMEM HONESTO
ELE PROCURAVA UMA DEMOCRACIA VERDADEIRA EM QUE DIZIA SE EU GOVERNAR CONTRA OS PORTUGUESES VOTEM NO PARTIDO COMUNISTA POIS QUE SEJA O MEU VAROMETRO DA MINHA POLITICA ANTES DE CAMARATE SÁ CARNEIRO ANDAVA ASSUSTADO COM UM PARTIDO QUE NÃO ERA PARTIDO LIGADO AO MFA E AO CONSELHO DA REVOLUÇAO QUE TINHAM UM SACO AZUL DE MILHOES PARA A GUERRA DO ULTRAMAR QUE JÁ TINHA ACABADOA 6 ANOS MAS O DIHEIRO DESAPARECEU

Anónimo disse...

O DRº Freitas Do Amaral desde o principio foi ingénuo achar que o atentedo não era contra Sá Carneiro mas os terroristas podiam estar a postos para executarem o seu plano quando fosse possivem a primeira oportunidade é possivel ou não colocar uma bomba de fraca potencia quando acharem a oportunidade o terrorismo funciona assim não quero condenações quero justiça em memóoria de todas as vitimas das FP25 de Abril pois a condenação está na conciencia de quem cometeu crimes odiundos contra as suas almas


Oferta do Blog Estranhos dias e corpo de delito

Oferta do Blog ORION